Por Fabio Betti, sócio consultor Corall

Amar o trabalho não é uma dádiva ou resultado da sorte. É uma escolha. Você pode não ter o melhor trabalho do mundo e mesmo assim amar o que faz. Simplesmente porque ele faz algum sentido para você. Nem que seja porque com ele você consegue pagar suas contas. Ou, quem sabe, realizar seus sonhos?

Têm tantas pesquisas demonstrando que as pessoas que amam o seu trabalho também são mais produtivas, o que normalmente se traduz em mais chances de reconhecimento, oportunidades de carreira e em um índice de empregabilidade muito maior, que nem vamos perder nosso tempo aqui recitando fontes. Tempo não é só dinheiro. Tempo é o espaço sagrado onde transcorre a vida…

O problema, no entanto, é que esse sentimento nem sempre se expressa como um amor maduro, verbo intransitivo. Amo e pronto. Me basta amar. Muitas vezes, ele se mostra mais como uma paixão, daquelas que fazem emagrecer e, muitas vezes, até adoecer. Paixão cega, obsessiva, do tipo que nos torna tão dependentes do objeto de nossa paixão que nos esquecemos de nós mesmos.

Quando estamos apaixonados, vivemos como se o outro fosse de verdade tudo, o nosso mundo. Nossa vida é depositada nas mãos do outro. Qualquer coisa que afete o outro nos afeta igualmente ou, pior, amplificadamente. E não resta nada ao outro, a quem entregamos tudo, que cuide direitinho de nós e satisfaça todas as nossas necessidades…

Se você percebe qualquer sinal de que essa dinâmica está ocorrendo em seu trabalho, pare, simplesmente pare e pense. Você não precisa adoecer por causa de ninguém, muito menos por seu trabalho.

Preste atenção por favor. Você não é o seu trabalho. Você é uma pessoa. O seu trabalho não faz parte de você. Ele é algo que você faz e, em algum momento, vai deixar de fazer. O seu trabalho passa. Você fica.

Então, se ainda não ficou claro, que fique agora: você e seu trabalho são duas coisas diferentes. Você é muito mais do que o seu trabalho. O trabalho é algo que você faz durante um certo tempo de sua vida. E se você por acaso está fazendo o trabalho ocupar o tempo todo de sua vida, você não está só perdendo tempo.

Você está perdendo a vida.

Artigo originalmente publicado no blog Gestão Fora da Caixa da Exame.com