Em um post recente no site do Instituto Capitalismo Consciente Brasil, compartilhei algumas reflexões sobre a importância da expansão da consciência pessoal e coletiva em todas direções e sentidos criando assim possibilidades para que o capitalismo evolua para um novo espírito dos tempos, em que um mundo mais eficiente, verde, acessível e feliz desabroche. Neste blog, gostaria de complementar a reflexão e explorar um pouquinho mais dois aspectos fundamentais e distintos desse processo de expansão: a forma que operamos e tecnologias disruptivas.

O primeiro está relacionado ao autoconhecimento, ou seja, expansão da consciência com relação a si próprio. Em minha jornada, estudei e pratiquei muita ciência, ideologia, filosofia — e até mesmo religião — até chegar à forma atual com a qual crio minha realidade, que talvez não seja a que terei daqui a algum tempo, já que esse é um processo contínuo de aprendizado.

Em minha visão, somos todos consciência-mente-corpo, ao mesmo tempo e totalmente entrelaçados e interdependentes. A maneira como penso influencia o que sinto e como ajo, assim como meu estilo de vida e prática de exercícios físicos influenciam minha saúde corporal e mental. Sempre fui muito curioso para entender como se dá esse processo entrelaçado e contaminante entre o pensar, sentir e agir e fiquei fascinado quando descobri o papel dos neurotransmissores e dos hormônios na ativação e regulação de sentimentos, emoções e ação, através do seu nível de secreção no corpo por nossas glândulas (pineal, pituitária, tireoide, timo, pâncreas, adrenal, ovários e testículos). Esse entendimento permite aumentar as possibilidades de auto percepção e, principalmente, de se estar melhor preparado para agir em situações difíceis.

Um exemplo é que em situações estressantes é natural que nosso sistema nervoso responda com maior descarga de adrenalina e cortisol no sangue para preparar o corpo para lutar, fugir ou congelar. Duas possibilidades para se estar melhor preparado para essas situações são: 1. identificar e aprofundar a respiração (isso naturalmente controla a secreção de adrenalina e cortisol liberando maior fluxo sanguíneo para o lobo pré-frontal, que controla o pensamento consciente) e 2. pensar sobre a situação estressante não como ameaça, mas como uma oportunidade de se desafiar, de crescer como pessoa e de melhor se relacionar com o outro; essa forma de encarar a situação ainda libera um pouco de adrenalina na corrente sanguínea, mas também ajuda a liberar oxitocina, que é um antídoto natural ao cortisol.

O segundo aspecto que gostaria de compartilhar é mais uma tecnologia que pode reinventar o mundo como conhecemos: o blockchain. Embora o nome seja estranho, esse é um sistema que funciona como um cartório global descentralizado, ou seja, é uma forma de garantir a veracidade de transações na internet, se tornando uma plataforma de confiança, que não é controlada por ninguém especificamente. E o potencial do blockchain é enorme.

Comece imaginando que todos os serviços dos cartórios no Brasil poderiam migrar para essa plataforma, sem depender de terceiros, de forma totalmente confiável. Imagine uma segunda aplicação, registros de marcas e patentes e proteção de propriedade intelectual. Agora imagine o sistema bancário e o próprio conceito de moeda… Esta plataforma tem o potencial de reinventar como as transações de valor entre pessoas podem ser certificadas e registradas sem a necessidade de bancos. O Reino Unido acaba de adotar esta nova tecnologia como plataforma para aumentar a eficiência e diminuir custos de registro de transações financeiras e não financeiras entre partes. Os banqueiros de Wall Street estão pilotando a transformação de dólares em moeda digital para diminuir drasticamente os custos transacionais de valores, também usando esta tecnologia. A imaginação é o limite para descrever o potencial deste sistema.

Como mencionei no outro post, várias tecnologias estão acelerando o ritmo de transformação do mundo de negócios e também da evolução da consciência. Repito aqui minha provocação: você, empresário, executivo ou ativista, está a par do que está acontecendo em tecnologia e novos modelos de gestão para ajudar a transformar sua empresa para os novos tempos? Está criando condições para que o melhor da consciência, talentos e colaboração de seus times ajudem a catalisar essa transformação? É tempo de acelerar a expansão da consciência e de navegar esta nova onda de um capitalismo mais consciente.

Vicente Gomes é sócio consultor da Corall e escreve para o blog Gestão Fora da Caixa da Exame.