Mindset de protagonismo: um dia como CEO

Mindset de protagonismo: um dia como CEO

Protagonismo é o oposto da vitimização, essa mania que temos em momentos de pouco empenho e dedicação. Por Marcelo Ribeiro dos Santos.

Você acorda e toma café. Depois sai de casa e se dirige pro escritório. Ao chegar, você se dá conta de que uma coisa muito maluca aconteceu: você se tornou CEO de sua empresa e tem a oportunidade de implementar algumas mudanças que tanto sonhava. Você tem autonomia para alocar recursos e definir prioridades, tendo a oportunidade de fazer acontecer os planos que guardava nos rascunhos ou dos quais já tinha desistido por inúmeras razões.

Por onde começar? Como coordenar ações para implementar seu plano inteiro?

Nesse dia inventado, você experimentaria com intensidade um mindset de protagonismo, movimento que tem a ver com chamar a responsabilidade pra si e mobilizar as mudanças necessárias. Você assumiria a responsabilidade e os impactos pelas decisões em prol da transformação que espera ver na organização.

Seja como CEO ou líder de uma área, projeto ou time, a pessoa protagonista tem a habilidade de realizar sozinha ou através de outras pessoas o que é importante para a evolução do negócio, do time e da empresa como um todo.

Para isso, é preciso cuidar de alguns aspectos importantes:

  • Planejar rota, tempo e recursos a investir, reavaliando o plano ao longo do caminho
  • Aprender testando e fazendo
  • Executar disciplinada e frequentemente
  • Evitar a queixa e incentivar a busca de soluções. A queixa é um não movimento que drena energia e distrai o foco. Quando o foco está em buscar soluções, isso gera energia e engajamento das pessoas em realizar mais e melhor
  • Escutar com presença. Só é possível mobilizar pessoas se elas se sentem escutadas com atenção e respeito. Quando as pessoas sentem que são envolvidas na decisão e podem se colocar livre e criativamente, elas se entregam e cooperam
  • Sustentar conversas difíceis. Conflitos evitados se tornam confrontos e polarizações
  • Negociar necessidades e pedidos de forma clara e empática.

Protagonismo é o oposto da vitimização, essa mania que temos em momentos de pouco empenho e dedicação. Momentos em que nos distanciamos do nosso foco de realização, com justificativas e distrações diversas.

Aproveitando a reflexão, que tal fazer uma lista das ações pendentes que estão no seu campo de autonomia, um plano simples para botar em prática a partir de amanhã? Nela você pode detalhar pedidos e necessidades que devem ser declarados para que tudo se realize da forma que desejar.

Te convido a pensar que talvez ser CEO é ser protagonista daquilo que você deve representar no seu trabalho neste momento… E talvez isso seja mais um mindset do que uma posição na hierarquia.

Artigo originalmente publicado no blog Gestão Fora da Caixa da Exame.com