No caminho a gente se explica: um papo sobre saúde mental

Como anda a sua saúde mental? Você, certamente, já deve ter parado para pensar a respeito.

Inegavelmente, o cenário de pandemia trouxe muitas mudanças para nossas vidas. Basta um pouco de observação para notar que muitas pessoas estão com comportamentos diferentes. Pensando em como poderíamos ajudar, criamos um encontro para falar sobre saúde mental, batizado de “No caminho a gente se explica”. Talvez, para você, o nome pareça estranho. Para nós também era, confessamos. No entanto, quando pensamos na dificuldade que temos de encontrar palavras que explicam nossas entregas aos clientes, percebemos que a resposta está no caminho. É o processo que se desenrola, passo a passo, que as palavras começam a fazer sentido. Assim, conseguimos gerar mudança e transformações a partir de nossas intervenções.

Foi assim que nasceu o encontro “No caminho a gente se explica”. Antes de mais nada, criamos um espaço de partilha para dividir nossos aprendizados e conhecimentos. Além disso, nos propomos a ouvir o que está emergindo, o que precisa de espaço. E, assim, tudo vai se encaixando e se explicando no fluxo do encontro.

Para escolher o tema dos encontros, decidimos olhar para os noticiários. Analisamos também os pedidos de orçamento e checamos, digamos assim, os temas mais quentes do momento. E, sem dúvidas, o que nos pareceu estar precisando de espaço de conversa, neste momento, é nossa sanidade mental, também conhecida como saúde mental.

E o que é saúde mental?

Primeiramente, saiba que o termo é mais utilizado por ser o mais buscado por pessoas na internet. No entanto, para nós, gostamos de falar em “saúde integral” e explicamos o porquê.

Aprendemos tradicionalmente a fragmentar o todo e separar a parte do todo. Entretanto, para nós, a saúde mental não está separada da saúde física, emocional e espiritual. Não fragmentamos o todo, pois ele é inseparável! Olhamos para o todo de múltiplas dimensões. E existem alguns mitos sobre esse tema que precisamos fala sobre:

Visão corpo mente e espírito

Você já ouviu a expressão: “Preciso reintegrar corpo mente e espírito”?

A pergunta que deveríamos fazer é:  Como assim, reintegrar? Quem foi que separou?

Essa separação é uma ilusão e você não deveria acreditar mais nela. Essa divisão é acadêmica. Esta separação não existe. Abandone essa crença de separação! Não tem como dominar a mente sem que o corpo sofra. Eles estão interconectados.

O sentido da vida é a vida em si, é viver

Responda as perguntas abaixo:

Quais são as necessidades do viver?

Você já se perguntou se o fruto que o seu trabalho produz é fundamental para a vida?

As pessoas estão precisando do que você produz?

O planeta está precisando disso?

Se você demorou para responder algumas dessas perguntas é porque está inserido em um sistema que nunca faz essas perguntas. Desta maneira, não associa mais aquilo que é fundamental para vida. Essas questões adoecem o espírito e a alma e, como não existe dissociação, isso adoece o ser.

A vida é um processo de cura

Carregamos uma bagagem sistêmica que ganhamos, inclusive vinda da primeira infância e gestação. A vida vai mandando sinais de que algumas curas são necessárias. Se pararmos para tentar entender essa dor, esse pedido de cura do corpo ou da mente, é um sinal de que aceitamos o convite para buscar essa cura que necessitamos.

Se o corpo não fala alto o suficiente para ouvirmos esse convite à cura, dificilmente damos atenção à ela.  Preferimos tomar remédios, nos entorpecermos. E quando o corpo não fala alto suficiente, adoecemos, pois não buscamos a raiz deste problema que precisa de mudança e intervenção.

A relação da cura com a saúde mental

Saúde mental em um cenário que busca por cura

Antes de mais nada, percebem que este vírus não nos deu uma pausa? Sentimos que é uma onda que não tem fim, que não passa.

O curioso desse vírus, no entanto, é que um de seus principais sintomas é o cansaço e a falta de ar para seguir. Essa é a percepção do filósofo Byung-Chul Han em seu ensaio “Sociedade do cansaço”. Fomos tomados, portanto, por um vírus que gera cansaço. Se a sociedade já padecia da síndrome de Burnout, que é aquecimento interno por tanta busca de desempenho, imagine agora. Vivemos uma potencialização de toda essa intensidade que a pandemia trouxe.

É urgente repensar o sentido das nossas vidas. Avalie, por exemplo, a necessidade das pausas e a crença de que podemos dissociar saúde mental da física, espiritual e emocional.

Aqui na Corall olhamos para as vivências de diferentes perspectivas. Elas não são contrárias ou opostas, são complementares. Dessa forma, a saúde mental precisa de nutrição e complementa a saúde do corpo físico, emocional e espiritual. O corpo físico, portanto, precisa de nutrição e complementa a saúde mental emocional e espiritual. Já o corpo emocional precisa de nutrição e complementa a saúde mental, física e espiritual. E, por último, a saúde espiritual precisa de nutrição e complementa a saúde mental, emocional e física.

Queremos te ajudar a olhar a saúde de forma integral, gerando diálogos internos, deslocando emoções e mentes em direção à cura, ao real significado de viver. Nosso primeiro encontro foi gravado. Disponibilizamos as duas práticas feitas com os participantes neste podcast.

Por fim, teremos mais encontros como esses, com temas que fazem sentido ao nosso viver. O próximo encontro será dia 27 de abril: falaremos sobre ansiedade. Venha com a gente que no caminho a gente te explica!

Posso ajudar?