Disponibilidade

Eu não sei

Quantas vezes por dia você recebe uma pergunta, pedem sua opinião ou você entra espontaneamente num debate? E quantas vezes você responde com sua perspectiva, preferência ou opinião? E quantas vezes você diz que não sabe? Minha sugestão é que usemos mais o “não sei”. Não estou falando do “não sei” que desiste do encontro, que foge da inquietude ou que se afasta do outro. Estou falando de um “não sei” que continua engajado na conversa e no assunto, algo como “Eu não sei, mas estou curioso para descobrir”. Nada de novo se cria no conhecido, apenas conseguimos defender uma…